//Brasil tropeça nos pênaltis e perde para o Chile na final do Torneio Internacional

Brasil tropeça nos pênaltis e perde para o Chile na final do Torneio Internacional

Debaixo de forte chuva e diante de mais de 16 mil torcedores, a seleção brasileira perdeu o título do Torneio Uber Internacional. O jogo terminou no empate em 0x0 no tempo normal e a decisão foi para os pênaltis. Nos penais, mesmo com uma atuação brilhante da goleira Aline, as brasileiras não foram muito bem e desperdiçaram 4 das 8 cobranças. O placar terminou em 5×4 para as chilenas, que levantaram a taça no Pacaembu.

O jogo

O Brasil entrou com um time bem diferente da estreia contra a Argentina. Das 11 jogadoras, apenas quatro começaram como titulares na partida anterior. Um destaque para a goleira Aline Reis, que depois do ciclo da copa, teve sua chance como titular.

No primeiro tempo o Brasil tentava encaixar algumas jogadas mas tinha dificuldade. Com o campo encharcado a bola corria demais, e as ligações diretas, característica forte do time, não eram eficientes. Também foram raras as jogadas pelo meio. As chilenas marcavam forte e não davam muito espaço. Pensando em dar mais velocidade a equipe, Pia troca Debinha por Ludmilla, que em uma das primeiras participações no jogo, já puxa uma jogada de velocidade e deixa Bia Zanerato na cara do gol, mas ela perde.

Já no finzinho, Formiga aproveita um cruzamento e manda a bola pra o fundo das redes. Mas a assistente já tinha sinalizado impedimento.

No segundo tempo duas modificações. Sai Aline Milene e Millene, e entram Chú e Luana.

O Brasil seguiu se impondo mais no jogo, finalizava mais, mas a bola parecia não querer entrar. Aos 37 minutos, quase que a Bruna Benites marcava contra. Foi por pouco! Com algumas tentativas e falta de sorte, o Brasil teve de encarar pela primeira vez a decisão nos pênaltis.

Penalidades

Haja coração para acompanhar. De um lado, Cris Endler, goleira do PSG da França, reconhecida como a melhor do mundo. Do outro, Aline Reis, e a sua garra de mostrar qualidade na hora certa.

O Brasil começou cobrando com Raquel, que chutou sem muita força no canto direito e deixou fácil para a defesa de Endler. Depois, Mônica, Chú, Bia Zanerato e Fabiana converteram. As cobranças perdidas, além de Raquel, foram de Luana, Joyce e Bruna.

As chilenas converteram cinco tentos, e Aline defendeu três, sendo um da própria goleira Cris Endler.

Análise Pós Jogo

Foto: Mauro Horita CBF

Na coletiva de imprensa, Pia fez uma leitura da situação e descreveu o dilúvio que caiu em São Paulo como “explicação e não desculpa”. A técnica ainda falou sobre explorar a equipe trabalhando pelo meio e nos testes que pretende continuar fazendo. Os planos incluem dois amistosos contra Polônia e Inglaterra, e um torneio na China. A técnica destacou Bia Zanerato e Ludmilla, como duas peças com grande potencial para o futuro. Além disso, a técnica falou também em construir três líderes dentro de campo, para organizar o time nas posições.

Essa não foi a primeira vez que o Brasil perdeu a final do torneio Internacional. Em 2010, o título ficou com o Canadá. Na época, as duas equipes empataram na final, mas as norte-americanas conquistaram o título pelos critérios de desempate.