//Renovação na base: CBF muda comando das seleções sub-17 e sub-20

Renovação na base: CBF muda comando das seleções sub-17 e sub-20

Demorou, mas finalmente a CBF definiu o comando das seleções de base femininas do Brasil. Depois de quase um ano de espera, a expectativa é de que a confederação trouxesse bons nomes para os cargos. Assim, foi. Com Jonas Urias e Jéssima Lima no comando da Sub-20, e Simone Jatobá, Lindsay Camila e Maravilha como comissão da Sub-17, o Brasil parece que finalmente acertou bem na estruturação de base do feminino.

Trouxemos abaixo, as características e histórico do novo comando de base da seleção brasileira.

Jonas Urias

Jonas tem 30 anos, e quase dez foram dedicados ao futebol feminino profissional. Com passagens pelo Centro Olímpico-SP e Sport-PE, o novo comandante da Sub-20 tem experiência de sobra com preparação e comando de atletas. Na equipe Pernambucana, em 2018, Jonas conquistou um Campeonato Estadual e uma Taça do Nordeste. Em entrevista à CBF na apresentação, o técnico disse que quer ser uma extensão do trabalho de todos que se esforçam pelo futebol feminino, e destacou o acolhimento como ponto essencial.

Jéssica Lima

Auxiliar técnica de Jonas Urias na Sub-20, Jéssica tem experiência de sobra com o futebol brasileiro. A ex jogadora atuou em boa parte da carreira no extinto Rio Preto-SP, clube histórico da modalidade, e se aposentou ano passado, em uma despedida emocionada. Jéssica também teve passagem pelo Marsalle da Itália e pelo comando da Ponte Preta-SP.  Na entrevista, Jéssica falou estar vivendo um sonho e se disse muito lisonjeada pelo convite do Jonas. Ela admtiu também a confiança de um bom trabalho na Sub-20.

Seleção Feminina Sub-17

Simone Jatobá

Ex jogadora da seleção brasileira, Simone esteve presente nas conquistas de medalha de prata na copa do mundo de 2007 e na olimpíada em 2008, além do ouro nos jogos pan-americanos do Rio de Janeiro também em 2007. Além disso, a comandante possui licença A como treinadora pela UEFA. Em entrevista, relatou que os últimos meses foram de estudos e trabalhos voltados ao futebol feminino, e que vê o momento como uma recompensa de anos de dedicação.

Lindsay Camila

A auxiliar técnica da Simone chega com uma bagagem de conhecimento do futebol europeu, mas entendo que aqui no Brasil a “pegada” é diferente. Lindsay também é ex jogadora de futebol e esteve morando na Europa nos últimos 10 anos, mas sempre perto do futebol feminino. Ela já treinou a base do francês Lyon e o Terville, equipe principal masculina da oitava divisão do Francês. Bagagem pesada!

 

Marisa Wahlbrink – Maravilha

A conhecidíssima ex goleira da seleção, Maravilha, vibrou com o convite, e se tornou a primeira preparadora de goleiras da seleção feminina. Maravilha atuou pela canarinha no mundial de 1999, onde foi bronze e nas olimpíadas de 2000 e 2004. A eterna goleira disse que sempre sente emoção quando entra na Granja Comary e que dedicou boa parte da vida estudando e se esforçando pelo futebol feminino, e que agora, quer dar o melhor para essa nova geração.

 

Uma curiosidade é que é a primeira vez que as comissões técnicas tem mais mulheres que homens na sua composição. Além de dar um passo importante na questão de igualdade, o salto de qualidade também vai longe, já que são mulheres com a competência inquestionável. Desejamos sorte e um bom trabalho às comissões.