//Guaraná Antarctica fecha patrocínio com campeonato brasileiro de futebol feminino

Guaraná Antarctica fecha patrocínio com campeonato brasileiro de futebol feminino

Acordo foi anunciado na última segunda-feira (27) por diretor de marketing da CBF

Por: Clara Maria Lino

O Guaraná Antarctica vai patrocinar o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (27) pelo diretor de marketing da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Gilberto Ratto, em live da escola The 360. Ao site Máquina do Esporte, o diretor afirmou que o contrato foi fechado por dois anos e deve ser oficializado assim que o calendário de início da temporada for confirmado.

De acordo com Ratto, este é o primeiro patrocínio de longo prazo que o Brasileirão Feminino recebe até hoje.

“O primeiro patrocinador do Brasileirão Feminino é o Guaraná. Ano passado não tinha. Retrasado? Também não tinha. Vamos trabalhar. Eles vão ter direitos das placas, direitos da imagem da competição, fazer ativação nos intervalos”, disse o diretor de marketing da CBF.

A Uber já patrocinou um torneio que aconteceu no ano passado e a ação durou aproximadamente três meses. O valor pago pela empresa envolveu placas de publicidade e o patrocínio da transmissão de um jogo por rodada do Brasileirão Feminino pela TV Bandeirantes.

Para a jornalista Gabriella Telles, especialista em futebol feminino, a Ambev, empresa responsável pela marca do Guaraná Antarctica, aproveitou o gancho da Copa do Mundo de Futebol Feminino que aconteceu no ano passado, na França, para “sentir” como seria o retorno publicitário.

“Acho que eles aproveitaram o gancho da Copa para sentir como seria o retorno da publicidade no futebol feminino. Com o resultado mega positivo da Copa da França, especialmente aqui no Brasil, com a transmissão da seleção feminina em tv aberta pela primeira vez e vários picos de audiência, eles entenderam que finalmente chegou a hora de valorizar os campeonatos nacionais”, disse a jornalista.

Além de Ratto, Pedro Thompson que é diretor de marketing da Ambev estava presente na live e disse que o objetivo do patrocínio é dar um “soco no fígado” como aconteceu na ação do ano passado antes da Copa do Mundo de Futebol Feminino. “Não vamos querer entrar com uma mensagem tradicional. Vamos querer dar um ‘soco no fígado’, como na ação do ano passado”, completou Thompson.

Gabriella Telles ainda fala sobre o futuro do Brasileirão Feminino após esse patrocínio de grande nome como é o Guaraná Antarctica. “Acho que ter uma marca de peso como o Guaraná sendo pioneira como patrocinadora, pode abrir várias portas. Para competição, com melhorias para o campeonato em si (quem acompanha o futebol nacional sabe bem da dificuldade de gramados, iluminação, vestiários, transmissão, etc – para citar poucos) quanto para os clubes (com relação a possibilidade de trazer jogadoras de fora, de melhorar as condições de treino, e muito mais),” relata Gabriella.

Ela ainda completa falando sobre a importância de outras marcas perceberem o talento que o futebol feminino possui. “Seria ótimo mais marcas perceberem que tem muita gente querendo assistir futebol feminino, tem muito talento por aí que acaba perdido por falta de oportunidade. Com patrocinadores talvez apareça também o interesse dos veículos de mídia de não só transmitirem, mas noticiarem diariamente sobre os jogos e sobre os clubes”, disse a especialista.

O Guaraná lançou uma campanha para convocar marcas a patrocinarem a seleção feminina de futebol feminino para a Copa do Mundo de 2019. De acordo com a Ambev, a ideia teve participação da Cristiane, da Andressinha e da Fabi Simões. Empresas como O Boticário, Lay’s, Gol e DMCard acreditaram na ideia e apoiaram a modalidade.

A marca que trabalha com a matéria-prima de origem amazonense, o guaraná, patrocina todas as seleções brasileiras, o time feminino do Atlético-MG e agora também o Brasileirão Feminino.