Além de Brasil e Inglaterra; veja a lista das seleções campeãs continentais em 2022

Reprodução/Concacaf

O mês de julho foi marcado pelas competições mais importantes do ano no calendário das seleções femininas. Enquanto a Seleção Brasileira conquistava seu oitavo título da Copa América, outros países brigavam para vencer as competições em cada continente. Apenas a competição da Ásia aconteceu em data anterior aos outros torneios.

Com a conquista histórica da Inglaterra na Eurocopa neste domingo (31), foram definidas todas as campeãs por continente. Veja quem mais levantou a taça de campeã neste ano. 

9x campeãs asiáticas

As campeãs da Ásia foram as primeiras a serem definidas em 2022. A China, maior campeã com nove títulos, venceu novamente o torneio após vitória por 3 a 2 sobre a Coreia do Sul. Filipinas e Japão completaram o pódio continental.

Além do país sede Austrália, estão classificados para a Copa do Mundo de 2023 como representantes da AFC: China, Coreia do Sul, Filipinas, Japão e Vietnã. Taipé Chinês e Tailândia vão para a repescagem do Mundial.

Hegemonia estadunidense

Na Concacaf, a seleção dos Estados Unidos conquistou o 9º título do torneio feminino da confederação. Vencendo o Canadá na decisão por 1 a 0, com gol de Alex Morgan, as estadunidenses chegaram ao tricampeonato consecutivo em 2022.

Além da hegemonia no continente, as tetracampeãs mundiais garantiram também a vaga direta na Copa do Mundo de 2023 e nos Jogos Olímpicos de Paris 2024.

Junto com as estadunidenses, também se classificaram as seleções do Canadá, vice-campeã da competição, Jamaica e Costa Rica, que ficaram em terceiro e quarto lugar respectivamente.

Festa da África do Sul

A África do Sul conquistou o título do torneio feminino africano após derrotar a seleção de Marrocos por 2 a 1. Foi a primeira vez em que a seleção conquistou o título continental. A festa do título foi grande na cidade de Rabat, no Marrocos.

Título inédito na Oceania

A Papua Nova Guiné venceu a Copa das Nações Femininas da OFC 2022 pela primeira vez após vencer a nação anfitriã Fiji por 2 a 1 na final, diante de uma multidão barulhenta no HFC Bank Stadium, em Suva.

Como a Nova Zelândia já está na Copa, por ser um dos países sede, a Papua Nova Guiné se classificou para a repescagem da Copa do Mundo Feminina da FIFA, que acontece em fevereiro de 2023, na Nova Zelândia.

O pódio da Copa das Nações Femininas da OFC 2022 foi completado pela seleção de Ilhas Salomão, que venceu a Samoa por 6 a 5 nos pênaltis, após o empate por 1 a 1 no tempo regulamentar, na disputa do terceiro lugar. 

Copa América verde e amarela 

Já na América do Sul, deu a lógica. O Brasil conquistou mais uma vez a competição e ampliou o número de títulos na estante. Agora são oito no total. 

A final foi disputada contra a Colômbia, que sediou o torneio. Apesar da hegemonia brasileira, a partida não foi fácil. Em um jogo bastante acirrado e truncado, a seleção teve dificuldades para criar situações ofensivas e construir uma vitória ampla. O único gol da partida, que definiu o título, saiu dos pés de Debinha em uma cobrança de pênalti aos 38 minutos do primeiro tempo. 

Com a vitória por 1×0, o Brasil levou o troféu para casa, uma premiação de US$ 1,5 milhão (cerca de R$ 8 milhões) e as classificações para a Copa do Mundo de 2023 e para as Olimpíadas de Paris 2024. 

Seleção Brasileira comemorando o título da Copa América 2022 | Thaís Magalhães/ CBF

Argentina 3º lugar

A disputa do terceiro lugar também não foi nada fácil. A Argentina lutou muito para conquistar a vitória por 3×1 diante do Paraguai e ficar com a terceira vaga para a Copa do Mundo. Já o Paraguai terá de enfrentar a repescagem para tentar uma chance de disputar o Mundial. 

Donas da Europa pela primeira vez

Em uma partida que foi decidida no segundo tempo da prorrogação, a Inglaterra levantou a taça da Eurocopa Feminina pela primeira vez na história. Diante de um público de 87.192 pessoas em Wembley, as donas da casa garantiram o título após o gol de Chloe Kelly nos minutos finais da partida.

No tempo normal, Ella Toone abriu o placar para a Inglaterra e Lina Magull empatou para a Alemanha.

Além do título inédito da Inglaterra, a partida também teve outro feito histórico: foi registrado o maior público de uma partida da Eurocopa entre competições femininas e masculinas.

Amanda Porfírio
Jornalista e Profissional de Educação Física. Pernambucana, bairrista por natureza, vivendo a máxima Gonzaguista: “Minha vida é andar por esse país”. Apaixonada por futebol desde que respira. Atualmente vive em São Paulo, e tem como sonho ajudar a conduzir o futebol feminino ao topo. Fora das quatro linhas, gosta de ler, pedalar, explorar a natureza e é obcecada pela ideia de estar sempre criando algo novo.