Libertadores Feminina: Ferroviária vence o Cerro Porteño e garante vaga nas semifinais da competição

As Guerreiras Grenás não deram chance para as donas da casa e venceram as paraguaias por 3 a 0, dando um importante passo rumo ao tricampeonato da América. Agora, o time de Araraquara espera o vencedor de Avaí/Kindermann e Independiente Santa Fé para conhecer seu adversário da semifinal.

Primeiro tempo acirrado

O jogo começou apertado, com as duas equipes se estudando e evitando deixar a adversária jogar. Muitas faltas e pouco tempo de bola correndo.

Aos 10 minutos da primeira etapa, a equipe do Cerro Porteño teve boa oportunidade com a cobrança de falta da Fretes, de fora da área, o que exigiu uma boa defesa da goleira Luciana. A Ferroviária respondeu com Laryh, que ganhou na velocidade, entrou na área e tocou para Raquel. Mas, a atacante grená acabou desperdiçando, chutando por cima do gol.

As duas equipes seguiram nervosas, e as faltas não pararam, vindo com elas os cartões amarelos. Do lado grená, a atacante Laryh e a lateral-direita Carol Tavares, receberam cartões.

Sochor comemorando gol | Foto: Staff Images Woman/CONMEBOL

Foi no apagar das luzes do primeiro tempo que o gol saiu. Patrícia Sochor recebeu um belo cruzamento de Carol Tavares pelo lado direito, e, de cabeça, abriu o placar para o time de Araraquara.

Pressão Grená

Se o gol do primeiro tempo saiu no finalzinho, o da segunda etapa não demorou nem cinco minutos. As Guerreiras Grenás, a pedido da técnica Roberta Batista, começaram pressionando, mesmo com a vantagem no placar, e a marcação adiantada deu certo. 

Raquel Fernandes roubou a bola na saída da equipe paraguaia, entrou na área e chutou colocado. A bola pegou na trave esquerda da goleira do Cerro Porteño e, no rebote, encontrou os pés de Laryh, que empurrou para dentro e fez 2 a 0 para a Ferroviária.

Logo em seguida, a equipe grená fez mais um, mas foi anulado por impedimento. Rafa Mineira cobrou falta direto para o gol, a bola explodiu no travessão e voltou para a cabeçada certeira da zagueira Ana Alice, que estava em posição irregular.

O Cerro tentou buscar o placar, mas todas as chances pararam na goleira Luciana. A zaga da Ferroviária também se mostrou sólida para segurar o ataque paraguaio. Já a zaga do Cerro Porteño não conseguiu segurar mais uma cabeçada da atacante Sochor. Carol Tavares, de novo, cruzou na medida e a atacante grená nem se mexeu: cabeceou certeira para o 3 a 0.

A Ferroviária dá um importante passo rumo ao tricampeonato da América. Lembrando que o time de Araraquara já ergueu a taça da competição nos anos de 2014 e 2020, sendo a atual campeã.