Conheça a trajetória de Chelsea e Barcelona até a final inédita em busca do primeiro título da Champions League

Time inglês chega pela primeira vez à final; Catalãs voltam à decisão após o vice na temporada 18/19.

A Champions League Feminina 20/21 terá novidade na decisão. Chelsea e Barcelona se enfrentam em uma final inédita e têm a chance de levantar o troféu da competição pela primeira vez. O confronto decisivo acontece neste domingo (16), no Estádio Gamla Ullevi, em Gotemburgo, às 16h (horário de Brasília).

Além do encontro na final, o duelo marca também a primeira vez que as equipes se enfrentam em uma competição da UEFA. Por coincidência, nesta temporada, o Chelsea enfrentou um time espanhol, o Atlético de Madrid, nas oitavas de final. E o Barcelona passou pelo inglês Manchester City nas quartas de final. 

O CAMINHO ATÉ A DECISÃO

As duas equipes entraram na competição na fase de 16-avos-de final. O Chelsea teve como primeiro adversário o Benfica e venceu as duas partidas, com uma goleada por 5 a 0 na ida e 3 a 0 na volta. Na mesma fase, o Barcelona eliminou o PSV com vitória por 4 a 1 nos dois confrontos.

Nas oitavas de final, o Chelsea enfrentou o Atlético de Madrid, vencendo a ida por 2 a 0 e empatando a volta em 1 a 1. A equipe do Barcelona passou pelo Fortuna com duas goleadas: 4 a 0 na ida e 5 a 0 na volta. 

Jogadoras do Chelsea comemoram defesa de pênalti da goleira Berger diante do Atlético de Madrid em partida válida pela Champions League Feminina
Comemoração da equipe do Chelsea após a defesa de pênalti da goleira Berger no duelo contra o Atlético de Madrid. | Foto: Divulgação/Chelsea

Na fase de quartas de final, o Chelsea encarou o atual vice-campeão da Champions, o Wolfsburg. A equipe inglesa eliminou a equipe alemã com vitória nos dois confrontos, 2 a 1 na ida e 3 a 0 na volta.

Já o Barcelona eliminou o Manchester City com vitória por 3 a 0 na ida e contou com o saldo de gols para se classificar às semifinais após a derrota por 2 a 1 na volta. 

Nas semifinais, os dois finalistas tiveram confrontos difíceis para chegar à decisão. O Chelsea teve pelo caminho mais um alemão, o Bayern de Munique. As inglesas perderam por 2 a 1 na ida e com um jogo consistente na volta, venceram por 4 a 1, garantindo, pela primeira vez, a vaga na decisão.

O Barcelona enfrentou o PSG, que havia acabado de eliminar o atual campeão Lyon, e conseguiu avançar à final após um empate em 1 a 1 na ida e vitória por 2 a 1 na volta. 

Imagem do gol marcado pela Lieke Martens, meio campista do Barcelona, diante do PSG na semifinal da Champions League
Com dois gols de Martens, o Barcelona eliminou o PSG e garantiu vaga na final. | Foto: Divulgação/ Barcelona

NA HISTÓRIA 

Esta é a 20ª edição da UEFA Champions League Feminina e pela primeira vez a decisão será entre um time inglês e um espanhol. Até esta temporada, a única equipe da Inglaterra a chegar a uma final havia sido o Arsenal, que se consagrou campeão na temporada 06/07.

Pelo lado espanhol, o Barcelona é o único representante da Espanha a chegar à decisão, alcançando o feito pela primeira vez na temporada 18/19. 

Das vinte edições até aqui, o Chelsea participou de cinco delas (15/16, 16/17, 17/18, 18/19 e 20/21), sendo esta a melhor campanha do time inglês, conquistando a vaga na decisão com seis vitórias, um empate e uma derrota.

Antes desta temporada, a melhor campanha do time inglês havia sido nas temporadas 17/18, quando perdeu para o Wolfsburg na semifinal e em 18/19, quando caiu na mesma fase para o Lyon, que seria o campeão da edição. 

A atleta Pernile Harder comemora diante do Chelsea enquanto jogava no Wolfsburg.
Na temporada 17/18, Pernille Harder, hoje atacante do Chelsea, enfrentou a equipe inglesa na semifinal da Champions defendendo o Wolfsburg. | Foto: Divulgação/UEFA

Já o Barcelona participou de nove edições da competição (12/13, 13/14, 14/15, 15/16, 16/17, 17/18, 18/19, 19/20, 20/21), com destaque para as campanhas de 16/17 e 19/20, quando chegou às semifinais contra PSG e Wolfsburg, respectivamente, e em 18/19, quando enfrentou o Lyon na decisão.

O time catalão já conhece a sensação de estar em uma final, mas desta vez fez uma campanha com uma vitória a menos do que em 18/19, quando chegou à decisão com sete vitórias e uma derrota. Nesta temporada, a equipe soma os mesmos números do adversário de domingo: seis vitórias, um empate e uma derrota. 

Na decisão da Champions de 18/19, o Barcelona perdeu por 4 a 1 para o Lyon. | Foto: Divulgação/UEFA

O vencedor desta final marcará o nome no seleto grupo de times que levantaram o troféu da Champions League Feminina: Lyon (7), Frankfurt (4), Wolfsburg (2), Turbine Potsdam (2), Umea (2), Arsenal (1) e Duisburgo (1). 

DUELO DE CAMPEÃS

O Chelsea venceu pela quinta vez a FA WSL e conquistou o título desta temporada com 57 pontos, somando 18 vitórias, três empates e apenas uma derrota. A equipe teve o melhor ataque da competição com 69 gols marcados e a melhor defesa com apenas 10 gols sofridos. Além dessa conquista, a equipe comandada por Emma Hayes também levantou o troféu da Women’s Super League Cup 20/21, com vitória na final sobre o Bristol City por 6 a 0. 

A equipe do Chelsea levanta a taça de mais um título na FAWSL, comemorando bastante mais uma temporada bem sucedida.
Pela quinta vez na história o Chelsea conquistou a FA WSL. A equipe sofreu apenas uma derrota em 22 jogos. | Foto: Divulgação/Chelsea

O Barcelona também chega à decisão com o título nacional. A equipe conquistou antecipadamente a Primera Iberdrola desta temporada, vencendo todas as 26 partidas que disputou até o momento no campeonato. Com oito rodadas para o fim da competição, o time tem o melhor ataque com 128 gols marcados e a melhor defesa com apenas cinco gols sofridos.

O time catalão só aguarda o encerramento oficial para receber a taça da competição, se tornando o maior campeão nacional com seis títulos. 

Jogadoras do Barcelona festejam título da Primeira Iberdrola ao redor de uma mesa com comes e bebes.
Equipe do Barcelona comemora o título da Primera Iberdrola 20/21 após o fim da 26ª rodada. É a sexta conquista do time catalão. | Foto: Divulgação/Barcelona

ELAS DECIDEM 

Os dois times chegaram à decisão após passarem por adversários difíceis ao longo da temporada e contaram, principalmente, com o bom desempenho das melhores jogadoras da Europa na temporada. 

Pelo lado inglês, a estrela de Fran Kirby brilhou em momentos decisivos e com dois gols diante do Bayern de Munique, ajudou o Chelsea a chegar à final inédita. A atleta da Seleção Inglesa também é uma das artilheiras da Champions League com seis gols. Do seu lado, Kirby tabela com a artilheira da FA WSL deste ano, com 21 gols, a australiana Sam Kerr, que marcou três vezes nesta Champions.

Além dela, também conta com a melhor jogadora da Europa na temporada passada, a dinamarquesa Pernille Harder, que chega à terceira final da UWCL com 30 gols na história da competição, sendo quatro nesta Champions. O time estreante na final foi o segundo que mais aplicou goleadas nesta edição e o segundo time que mais marcou gols, com 21 no total.

Além do ataque, o time inglês tem uma defesa consistente, com destaque para a capitã da equipe, Magdalena Eriksson, e a goleira Berger, responsável pela defesa de dois pênaltis na partida contra o Atlético de Madrid nas oitavas de final. 

Chelsea comemora vitória na FA WSL. Sam Kerr foi a artilheira da competição com 21 gols marcados. | Foto: Divulgação/Chelsea

O Barcelona também tem um elenco estrelado, com destaque para a maior goleadora da Seleção Espanhola, a atacante Jennifer Hermoso. A atleta divide com Kirby (Chelsea) a artilharia desta Champions, e é a segunda jogadora que mais marcou gols na Primera Iberdrola deste ano, 21. Ao seu lado, Jenni conta a ajuda de Lieke Martens, melhor jogadora do mundo em 2017 e responsável pelos dois gols diante do PSG na semifinal, que garantiram a vaga do Barcelona na final, somando cinco gols nesta edição.

Ainda, o Barcelona tem a qualidade de Alexia Putellas, que marcou 16 gols na Primera Iberdrola deste ano e da atacante nigeriana Oshoala, com quatro gols nesta Champions. Juntas, garantem ao Barcelona o melhor ataque da competição, com 24 gols. Na defesa, Mapi Leon, que se destaca com a precisão na marcação, e a goleira Paños, com defesas difíceis, principalmente nas semifinais, ajudaram a garantir o time catalão na segunda final da história da competição. 

Patri Guijarro, Alexia Putellas, Lieke Martens e Jenni Hermoso comemoram classificação do Barcelona à final da Champions League. | Foto: Divulgação/Barcelona

VAI TER VAR

Diferente das outras fases da competição, a decisão deste domingo terá o auxílio do Árbitro de Vídeo, com a supervisão de Bastian Dankert (Alemanha) e do assistente Christian Dingert (Alemanha). A partida terá como árbitra principal a alemã Riem Hussein, auxiliada por Katrin Rafalski (Alemanha) e Sara Telek (Áustria). A quarta árbitra será Katalin Kulcsar (Hungria). 

ANOTA AÍ! 

Chelsea x Barcelona

Estádio Gamla Ullevi, Gotemburgo

16h (horário de Brasília)

Transmissão ESPN Brasil e app ESPN 

Principais lances no twitter @futdasminass