Em clima de “revanche”, Brasil vence Colômbia e garante vaga na Copa do Mundo Sub-20

Seleção Feminina Sub-20 garante vaga na Copa do Mundo de 2024
Foto: Reprodução/CBF

Em jogo digno de clássico continental, o Brasil venceu a Colômbia por 1 a 0 e garantiu sua vaga na Copa do Mundo Sub-20. A partida, válida pela terceira rodada do hexagonal final do Sul-Americano, aconteceu na noite da última segunda-feira (29), no Estádio Modelo Alberto Spencer, em Guayaquil.

O clima era de revanche por conta da derrota por 2 a 1 sofrida na primeira fase. Isso serviu como motivação extra para a seleção canarinha, que marcou aos 35 minutos com Rebeca, de cabeça. Ao final, provocações dos dois lados ocasionaram a expulsão de Ana Flavia e Yéssica Muñoz.

A Seleção foi a primeira equipe a garantir a classificação, restando ainda três em disputa e mais duas rodadas de confrontos. Em primeiro lugar isolado na fase final, enfrentará a Venezuela e o Peru em busca do décimo título sul-americano.

Rebeca comemorando seu gol. Foto: Reprodução/CBF

Sobre a Copa do Mundo Feminina Sub-20

Esta será a décima edição do Mundial, que acontecerá na Colômbia entre 31 de agosto e 22 de setembro deste ano. Desta vez, de forma inédita, a competição contará com 24 participantes, não mais 16.

Além do país sede, serão quatro vagas para a AFC, CAF, Concacaf e Conmebol, cinco vagas para a UEFA e duas para OFC. Contando com o Brasil, os classificados até o momento são Colômbia, Japão, Fiji, Coréia do Norte e do Sul; Camarões, Gana, Marrocos e Nigéria; EUA, México, Canadá e Costa Rica; Espanha, França, Alemanha, Holanda e Áustria; Austrália e Nova Zelândia.

Relembre a campanha do Mundial de 2022

Foto: Thaís Magalhães/CBF

O Brasil participou de todas as edições da Copa do Mundo, mas teve sua melhor campanha em 2022, na Costa Rica, quando igualou o terceiro lugar alcançado também em 2006. No grupo com as anfitriãs, a Espanha, e a Austrália na primeira fase, a Seleção passou em segundo lugar com 7 pontos, atrás das futuras campeãs por apenas um gol de saldo.

No mata-mata, despachou a Colômbia por 1 a 0 e depois, nas semifinais, perdeu para o Japão (que então defendia o título) por 2 a 1. Já a disputa pelo terceiro lugar contra a Holanda, embora tenha se desenhado difícil no primeiro tempo, acabou em goleada brasileira por 4 a 1 e redenção de Tarciane. Depois de desperdiçar um pênalti, a zagueira balançou as redes duas vezes – em nova chance pênalti e de bicicleta.

A defensora, recentemente transferida para o Houston Dash na quarta maior transferência do futebol feminino mundial, foi um dos destaques da competição. Além de ter sido a artilheira do Brasil, foi eleita a terceira melhor jogadora e ficou com a chuteira de bronze.

Estudante de jornalismo, carioca e apaixonada por música, anime e, claro, pelo futebol de mulheres. Cubro a modalidade desde 2020 e aqui no Fut das Minas desde o início de 2024. Nunca é só futebol!
Pular para o conteúdo