Pela primeira vez na história, o Canadá conquista a medalha de ouro no futebol feminino

Foto: Twitter/FIFA Women's World Cup

Jogando no estádio de Yokohoma, Suécia e Canadá se enfrentaram nesta sexta-feira (06) em busca da medalha de ouro inédita para as duas seleções em Jogos Olímpicos. Depois de colocarem no peito duas medalhas de bronze, uma em Londres 2012 e a outra no Rio 2016, agora nos Jogos Olímpicos de Tóquio, as canadenses colocaram pela primeira vez a de ouro. Considerada uma surpresa nesta final, o Canadá empatou a partida em 1 a 1, e na decisão dos pênaltis a Seleção Canadense venceu por 3 a 2. 

Primeiro tempo 

Os 10 primeiros minutos do jogo começaram como se esperava, com a Suécia pressionando e ocupando o seu campo de ataque, enquanto o Canadá se fechava bem e apostava nos contra-ataques. Depois, a Seleção Canadense se impôs ofensivamente, apostando nas bolas longas e com Prince sendo a principal arma.   

Após a pressão canadense, as suecas conseguiram voltar a controlar um pouco mais a partida. Até que, aos 34 minutos, Asllani roubou a bola no meio, arrancou pelo lado direito e cruzou na área para Blackstenius que finalizou para o gol, colocando a Suécia na frente do placar.  

Segundo tempo

Atrás do placar, o Canadá precisava propôr mais o jogo para conseguir o empate. As entradas da Leon e Grosso, no lugar de Becky e Quinn, ajudaram na movimentação ofensiva da equipe canadense. 

Aos 20 minutos, Sinclair foi derrubada na área e após a checagem do VAR foi marcada a penalidade. Fleming bateu e converteu o pênalti, deixando tudo igual. A partir do gol do Canadá, a partida ficou um pouco mais morna. Nos 15 minutos finais, a Suécia até tentou buscar o segundo gol, mas o empate prevaleceu e o jogo foi para a prorrogação.

Em jogo equilibrado, com o empate em 1 a 1, no tempo normal, a partida foi para a prorrogação. Foto: Twitter/FIFA Women’s World Cup

Prorrogação

Na primeira parte da prorrogação as duas equipes já davam sinais de que estavam sentindo um pouco a questão física, a partida continuou equilibrada, com o Canadá dificultando para a Suécia na defesa e tentando pressionar no ataque. 

Já no segundo tempo, a Suécia melhorou e criou mais chances, as finalizações mais perigosas foram um chute de primeira de Benninson, que passou por cima do gol canadense, e uma jogada pela esquerda, que Andersson cruzou bem fechado, mas a defesa do Canadá tirou em cima da linha. A melhor chance da Seleção Canandense veio de um cruzamento de Rose, em que Huitema cabeceou próximo ao gol sueco. Com o empate, a decisão foi para as penalidades. 

 Pênaltis

Pela primeira vez, a medalha de ouro do futebol feminino foi decidida nos pênaltis. Enquanto o Canadá foi para sua segunda decisão nas penalidades nestas Olimpíadas, a Suécia estava encarando a sua primeira.

Se faltou um pouco de emoção no tempo normal e na prorrogação, nos pênaltis foi diferente. Pelo lado sueco, Björn, Schough converteram e Lindahl defendeu duas cobranças. Já as canadenses, marcaram com Fleming, Rose e Grosso. A goleira Labbé também defendeu duas penalidades. 

Assim, o placar ficou em 3 a 2, e o Canadá foi campeão olímpico do futebol feminino. A Suécia ficou com a prata, sendo a segunda da sua história.