CHINA – Renovação no elenco e organização tática são apostas chinesas para Tóquio

Foto: Site Associação Chinesa de Futebol - IC China

A estreia do futebol feminino nos Jogos Olímpicos está chegando e os olhares do Brasil estão voltados para a Ásia, especificamente para a China, primeira adversária da seleção em Tóquio. Caracterizadas por um estilo de jogo tático, as rosas de aço formam uma das maiores equipes de futebol feminino do continente asiático. 

Confira abaixo o histórico da China nas olimpíadas e o que esperar dessa seleção em Tóquio. 

Histórico Olímpico

Por pouco a China não entrou para o seleto grupo de seleções presentes em todas as edições de jogos olímpicos. Desde que o Futebol Feminino entrou nos jogos, em 1996, as chinesas ficaram de fora apenas em 2012, nas olimpíadas de Londres. 

A melhor campanha veio logo na primeira participação, em 1996, quando a equipe conquistou a medalha de prata. Já nos anos 2000, nos jogos da Austrália, a China caiu na fase de grupos, mas a atacante Sun Wen garantiu a artilharia, com quatro gols.

Domínio na Ásia

Como adiantamos acima, a Seleção Chinesa é um dos grandes destaques do continente asiático. Ocupa atualmente a 15ª posição no ranking da FIFA e coleciona um arsenal de títulos. 

Entre eles estão: oito Copas da Ásia, o vice-campeonato na Copa do Mundo de 1999, nos Estados Unidos, e a medalha de ouro na Universíade (jogos universitários). Além da prata olímpica, que já mencionamos. 

Tática e organização ofensiva

A China está longe de ser uma das equipes favoritas nas Olimpíadas, mas certamente é uma das que pode incomodar bastante as prediletas na briga pelo título, incluindo o Brasil. 

O estilo de jogo das chinesas aposta na tática e organização ofensiva para dificultar a vida das rivais. O posicionamento coletivo dentro de campo, alinhado à postura reativa diante de grandes adversárias, potencializa o poder de controle da equipe em jogos difíceis. 

Para se ter ideia, a China não perde para o Brasil desde 2016, coincidentemente, também na estreia dos últimos Jogos Olímpicos no Rio de janeiro, quando a nossa seleção venceu as chinesas por 3×0. De lá pra cá, tiveram mais dois confrontos, que terminaram no empate. 

Período de renovação

Assim como o Brasil, a China também vive um momento de “passada de bastão” no seu elenco. Algumas jogadoras mais experientes ficaram de fora da convocação para as olimpíadas, enquanto outras mais novas assumiram o lugar. 

Entre os nomes que eram esperados mas ficaram de fora da lista, estão as meias Tang Jiali, Ma Jun e Lou Jiahui. Segundo uma análise divulgada  no site Chinnews.com, a lista apresenta uma grande mudança de elenco e até uma atitude de coragem do técnico Jia Xiuquan, que decidiu apostar em uma equipe mais diversa.

No entanto, as mudanças não refletem grandes variações no estilo de jogo da seleção, cujas peças que assumiram a lista, têm características similares às que ficaram de fora. No meio de campo, por exemplo, é importante ficar de olho nas experientes Zhang Xin e Wang Shuang, esta última sendo o maior destaque da seleção e que, provavelmente, irá ditar o ritmo no setor ofensivo. 


Um ponto positivo para a seleção da China é que todas as jogadoras atuam no futebol Chinês e se conhecem muito bem, o que garante mais entrosamento e identidade dentro de campo. Em entrevistas anteriores, o técnico da equipe chinesa declarou que quer construir uma equipe mais forte e criar milagres. Tóquio será o grande cenário para essa tentativa.

Wang Shuang – Destaque da seleção Chinesa | Foto: Reprodução Internet

Fase de grupos

O caminho da China não será nada fácil em Tóquio. A equipe estreia contra o Brasil, encara a Zâmbia em seguida (aparentemente um jogo mais fácil) e fecha a fase de grupos enfrentando a Holanda.

Porém, a equipe tem a característica bastante competitiva e um cenário possível dentro do grupo, é que que consiga somar pontos e garanta a classificação entre os melhores terceiros lugares, conquistando o passaporte para as fases finais, já que Holanda e Brasil, tem a probabilidade de se classificar entre as duas primeiras posições.

Confira as datas e horários dos jogos: 

21/07 – 5h00 (horário de Brasília)

China x Brasil 

24/07 – 5h00 (horário de Brasília)

China x Zâmbia

27/07 – 8h30 (horário de Brasília)

Holanda x China

Confira a lista das atletas que estarão em Tóquio: 

Goleiras: Zhu Yu; Peng Shimeng; Ding Xuan.

Defensoras: Li Mengwen; Lin Yuping; Wu Haiyan; Wang Xiaoxue; Luo Guiping; Wang Ying; Chen Qiaozhu.

Meio Campistas: Li Qingtong; Zhang Xin; Wang Shuang; Wang Yan; Miao Siwen; Wang Yanwen; Yang Lina;

Atacantes: Liu Jing; Xiao Yuyi; Wang Shanshan; Yang Man; Wuriguimula;

Técnico: Jia Xiuquam