HOLANDA – Poder ofensivo e geração vencedora são os destaques da principal adversária do Brasil na primeira fase

Divulgação/Seleção Holandesa

Estreantes e adversárias do Brasil na segunda rodada da fase de grupos dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a Seleção da Holanda chega com um histórico positivo de boas campanhas nas últimas competições oficiais. Com uma geração vencedora e cheia de estrelas, as Leoas Laranjas, como são chamadas, apostam no poder ofensivo para fazer história em mais uma competição internacional. Conheça um pouco mais das atuais campeãs europeias.

Poder ofensivo

Poucas seleções do mundo podem dizer que tem no elenco as principais atacantes do mundo e esse é o caso das Leoas Laranjas, com Vivianne Miedema, maior atacante da Liga Inglesa e da Seleção Holandesa, e que terminou a última FA WSL com 18 gols e cinco assistências em 22 jogos e Lieke Martens, um dos principais nomes do Barcelona – atual campeão da Champions League Feminina – que levantou a taça da maior competição de clubes do mundo como a segunda maior artilheira do time catalão e com gols decisivos na semifinal diante do PSG.

Ao lado das duas, Jill Roord, que também atua como meia, completa o perigoso trio de ataque holandês, que pode ter também a entrada de Van de Sanden, atacante que atua pelo lado do campo, ou seja, um leque de opções nas mãos da técnica Sarina Wiegman. 

No meio, destaque para Danielle Van de Donk, contratada pelo Lyon para a próxima temporada, que cumpre bem o papel na construção de jogadas. Com uma transição para o ataque muito rápida, Van de Donk se encaixa no esquema como um motorzinho da equipe, também muito veloz, e que destaca mais um ponto forte da equipe holandesa.

Getty Images

Geração vencedora 

A primeira campanha expressiva da Seleção Holandesa Feminina foi o 3º lugar na Eurocopa de 2009. De lá para cá, o país passou por renovações nos cargos responsáveis pelas seleções e, com a aposta na modalidade feminina, conseguiu o título histórico da Eurocopa em 2017, com vitória sobre a Dinamarca por 4 a 2 na decisão.

Dois anos depois, apenas na segunda participação do país na Copa do Mundo Feminina, as Leoas Laranjas, comandadas por Sarina Wiegman, chegaram à decisão do torneio e foram derrotadas na final pela Seleção dos Estados Unidos, maiores campeãs mundiais, por 2 a 0. Atualmente, a Seleção Holandesa ocupa a 4ª posição do ranking de melhores seleções do mundo da FIFA. 

Divulgação/UEFA

O fim de uma era – Sarina Wiegman 

Com acerto para comandar a Seleção Feminina da Inglaterra após os Jogos Olímpicos de Tóquio, a técnica holandesa Sarina Wiegman buscará pela última vez um título com as Leoas Laranjas, equipe a qual treina desde 2016.

Campeã da Eurocopa em 2017 e vice-campeã do mundo em 2019, Sarina fez história no comando da Seleção que há poucos anos não tinha destaque no cenário mundial da modalidade. Treinadora da melhor geração holandesa feminina e alcançando feitos importantes, a comandante recebeu uma estátua da Real União Holandesa de Futebol no jardim das homenagens.

A estátua da atual treinadora da seleção fica entre as esculturas de dois ídolos do futebol do país, Johan Cruijff e Willem van Hanegem. Em 2020, a comandante foi considerada a melhor técnica do mundo pela FIFA. 

Divulgação/KNVB

Estreia em Jogos Olímpicos

Com o futebol feminino presente nos Jogos Olímpicos desde a edição de Atlanta, em 1996, a Holanda vai participar pela primeira vez do torneio. As Leoas Laranjas garantiram a vaga após o vice-campeonato na Copa do Mundo da FIFA de 2019, competição que classifica as três melhores colocadas da UEFA para as Olimpíadas. 

Em Tóquio, a Seleção Holandesa está no Grupo F, com Brasil, China e Zâmbia. As Leoas Laranjas devem ser as principais adversárias da Seleção Brasileira na briga pelo primeiro lugar do grupo e o duelo na segunda rodada com o Brasil deverá ser o confronto mais equilibrado do grupo. Nas outras duas partidas, contra Zâmbia e China, favoritismo da equipe holandesa. 

Divulgação/Seleção Holandesa

Convocadas

Sarina Wiegman tem acompanhado suas atletas se destacando nas principais ligas do mundo e com a base vencedora dos últimos anos, convocou as 22 atletas para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Goleiras: Sari van Veenendaal (PSV), Lize Kop (Ajax) e Loes Geurts (BK Häcken).

Defensoras: Kika van Es (FC Twente), Stefanie van der Gragt (Ajax), Merel van Dongen (Atlético Madrid), Aniek Nouwen (Chelsea) e Lynn Wilms (FC Twente).

Meio-campistas: Dominique Janssen (VfL Wolfsburg), Daniëlle van de Donk (Arsenal), Jackie Groenen (Manchester United), Sherida Spitse (Ajax), Jill Roord (VfL Wolfsburg), Victoria Pelova (Ajax), Anouk Dekker (HSC Montpellier) e Inessa Kaagman (Brighton & Hove Albion).

Atacantes: Lieke Martens (FC Barcelona), Shanice van de Sanden (VfL Wolfsburg), Sisca Folkertsma (FC Twente), Vivianne Miedema (Arsenal), Lineth Beerensteyn (Bayern de Munique) e Renate Jansen (FC Twente).

Divulgação/Seleção Holandesa

Agenda da Seleção Holandesa na primeira fase dos Jogos Olímpicos:

1ª rodada: Holanda x Zâmbia

21/07 (quarta-feira) – 8h (horário de Brasília) – Miyagi Stadium

2ª rodada: Holanda x Brasil

24/07 (sábado) – 8h (horário de Brasília) – Miyagi Stadium

3ª rodada: Holanda x China

27/07 (terça-feira) – 8h30 (horário de Brasília) – Stadium Yokohama