Palmeiras e Internacional vencem clássicos e se mantêm no topo da tabela do Brasileiro Feminino

Fabio Menotti/Palmeiras

Restando apenas quatro rodadas para o fim da primeira fase do Campeonato Brasileiro, a 11ª rodada teve o marco de 27 gols, com direito a soberania das equipes mandantes. Sem muitas alterações no topo da tabela, Palmeiras e Internacional venceram os seus clássicos e se firmaram como líder e vice-líder.

Quer saber os detalhes da rodada? A gente te conta!

Palmeiras 2 x 0 Corinthians 

Torcida do Palmeiras compareceu em cheio para o Derby | Fabio Menotti/Palmeiras

Iniciando os trabalhos da 11ª rodada do Brasileiro Feminino, o Palmeiras recebeu o Corinthians no último sábado (04), no Allianz Parque para um duelo que prometia arrancar a rivalidade até de quem não torce para nenhum dos dois times. Dessa vez, o Palmeiras levou a melhor e encerrou o tabu que já durava 17 anos: vencer o Corinthians no Campeonato Brasileiro. 

Com o resultado, o Verdão se manteve na liderança com 28 pontos somados. O Derby ainda rendeu um recorde de público do futebol feminino no Allianz Parque, ao reunir 5.947 torcedores que viram de perto o triunfo alviverde. 

A construção do resultado começou logo aos dois minutos de jogo, momento em que Agustina bateu forte na bola, desviando na zaga corintiana. Por estar jogando em casa, o Palmeiras não precisou mandar recado e, mais uma vez, aos nove minutos, teve a chance de abrir o placar com Carol Rodrigues que não teve domínio de bola. 

O time de Arthur Elias, por outro lado, começou a se encontrar na partida. Com 15 minutos de jogo, já tinha engatado três contra-ataques com Gabi Portilho, destaque alvinegro na partida. Já as Palestrinas, tiveram Duda Santos como craque do jogo. Com 27 minutos, Bia Zaneratto recebeu a bola, limpou, ajeitou e cruzou para Duda que empurrou para o fundo do gol. 

Após um princípio de confusão que esquentou a partida, terminando com Tarciane amarelada aos 32, Gabi Portilho comandou mais um contra-ataque combinado com cabeçada de Tamires. A finalização foi defendida por Jully, que evitou o empate das Brabas. 

O segundo tempo continuou com a corrida do Timão para abrir o marcador. A dupla Portilho e Tamires continuou incomodando Jully até os dez minutos da segunda etapa. A disputa pela posse de bola virou a grande chave da partida que durou até os 39 minutos finais, quando Duda, em uma tarde iluminada, aproveitou a falha de Lelê e Jheniffer, e mandou um chute forte para o gol. Lelê até espalmou, mas a bola tocou no travessão e morreu nas redes, confirmando o segundo gol da camisa 7. 

Apesar da pressão das Brabas até os 45 minutos finais, os erros de passe e a dificuldade de transição ofensiva levaram a equipe alvinegra à derrota. Com o resultado, o Corinthians perdeu a chance de assumir a liderança no brasileiro feminino e ocupa a terceira posição do campeonato. 

São José 0 x 1 Flamengo 

Após vencer o Grêmio na décima rodada, o Flamengo bateu a equipe de São José dos Campos, no estádio Martins Pereira, neste sábado (04) por 1 a 0 e engatou a segunda vitória seguida no Brasileiro. Com os três pontos somados, o time Rubro-Negro se aproximou da fase mata-mata. 

O Flamengo dominou as chances de gol da primeira etapa. Foram sete finalizações contra apenas uma do São José, que jogou recuado e não conseguiu partir para o ataque. Apesar da superioridade Rubro-Negra, o placar não saiu do zero a zero. 

Na volta do intervalo, as Meninas da Gávea mantiveram o ritmo, mas viram o São José crescer e comandar algumas chances de gol. Com a partida equilibrada, Bea desperdiçou a oportunidade de abrir o placar.

Em um jogo que se encaminhava para um empate sem gols, o Flamengo venceu por errar menos. Afinal, o gol da partida só veio aos 41 minutos do segundo tempo, quando a defensora do São José deixou o braço no lance. 

Então, Duda, de pênalti, anotou o gol da vitória Rubro-Negra, garantindo mais três pontos para o Flamengo.

Santos 5 x 3 Esmac-PA

Abrindo os trabalhos no domingo (05), o Santos venceu o Esmac em um jogo movimentado e cheio de reviravoltas que rendeu oito gols na Vila Belmiro. 

A Esmac teve a primeira chance clara de gol aos três minutos de partida, mas foi o Santos que começou de forma avassaladora. Logo no lance seguinte, as Sereias da Vila chegavam pela direita, quando Nath Branco cometeu falta em cima de Jane e foi amarelada. Penalidade máxima marcada. Cristiane bateu com o pé esquerdo na bola e abriu o placar. Quatro minutos mais tarde, o Santos parecia confirmar o favoritismo quando Ketlen, a artilheira do clube, recebeu de Cris e marcou o segundo. 

Mas a Esmac não tinha planos de voltar para casa sem causar incômodo. Aos 26 minutos, Baião passou por todo mundo, tocou, apareceu para receber e deixou a goleira sem chances de defesa. 

O jogo, que parecia ter definição antes da bola rolar, começou a ganhar uma figuração dramaturga. Aos 31, Camila parou o contra-ataque paraense e acabou sendo expulsa após receber o segundo amarelo. Com uma zagueira santista a menos, a Esmac foi oportunista e aos 33 cravou o gol de empate com a jogada olímpica de Nath Branco. 

Na volta do vestiário, o jogo continuou de tirar o fôlego! Cristiane mostrou que estava “ON” e aos 13 do segundo tempo fez o terceiro das Sereias. A felicidade santista durou pouco. Dois minutos depois a Esmac deixou, mais uma vez, tudo igual. Até agora, três gols para cada lado. 

A ascensão alvinegra saiu dos pés de Jane, que invadiu a área e ampliou o placar. Já no finalzinho, aos 46, Brena marcou e definiu o triunfo do Santos sobre a Esmac. 

Com o placar final de 5×3, o Santos chegou aos 18 pontos e ocupa a 5ª posição da tabela, enquanto a Esmac, com 5, é a vice-lanterna do Brasileiro. 

Grêmio 1 x 2 Internacional

Morgana Schuh | Grêmio FBPA

No segundo clássico da rodada, o Internacional bateu o Grêmio por 2 a 1 e manteve a invencibilidade GreNal, que já dura cinco anos. O resultado rendeu às Gurias Coloradas a vice-liderança do Brasileiro, chegando a 26 pontos. Apesar das péssimas condições do gramado, as equipes fizeram uma partida pra lá de dramática. 

Com mais volume de jogo desde o início, o Internacional mostrou pra que veio logo aos sete minutos, quando na primeira chegada, após cobrança curtinha de escanteio, Duda se livrou da marcação, bateu rasteiro no canto e abriu o placar no Vieirão. 

A camisa 10 até tentou ampliar, mas o segundo gol só veio aos 33 minutos, com mais uma cobrança de escanteio. A bola chegou a ser desviada na trave, mas Lelê, no rebote, mandou pro fundo do gol, levando vantagem para o vestiário.  

Com uma reta final dramática, as Gurias Gremistas até tentaram o empate com a cabeçada de Gabizinha, que encontrou a trave. Aos 48 minutos, Isabela recebeu o segundo amarelo, precisou deixar o campo e deixou uma falta perigosíssima para o Grêmio bater. Na cobrança, Gabi Barbiéri fez uma defesa espetacular com o pé esquerdo e carimbou a vitória colorada.

Na segunda etapa, o Inter manteve o ritmo de jogo. Apesar disso, o Grêmio não se entregou e descontou aos 30 minutos de jogo. Cássia recebeu o cruzamento de Rafa Levis, deixando a goleira colorada sem reação. 

Avaí Kindermann 1 x 0 Ferroviária

O primeiro tempo foi de pouca qualidade técnica no estádio Salézio Kindermann. Enquanto o Avaí finalizou quatro vezes, a Ferroviária só achou o gol adversário uma vez em 45 minutos. A postura deixou de lado o poder ofensivo que coloca as Grenás como uma das favoritas ao pódio do torneio. 

Na estreia da técnica Carine Bosetti, as Leoas conquistaram a terceira vitória seguida como mandantes. Logo no início da segunda etapa, a zagueira Dani Venturine recebeu o cruzamento de Sorriso, matou de cabeça e abriu o placar com apenas um minuto de jogo. 

O gol deu uma injeção de ânimo nas donas da casa que intensificou a marcação e acelerou os contra-ataques. Luciana impediu que o time de caçador ampliasse o placar com a jogada entre Sandoval e Roqueline.

A Locomotiva, por outro lado, não conseguiu entrar nos trilhos e esbarrou com a organização defensiva sólida do Avaí/Kindermann. 

Na classificação, a Ferroviária desceu para a sétima colocação, somando 17 pontos, com cinco vitórias e dois empates.

Real Brasília 1 x 0 Cruzeiro 

Diretamente do Distrito Federal, no Estádio Defelê, o Cruzeiro acumulou mais um resultado negativo ao ser superado pelo Real Brasília com um gol de diferença. Essa é a quarta derrota do time celeste que amarga a 12ª posição, com apenas um ponto a frente do São José, porteiro do Z-4.

As equipes fizeram uma partida com uma qualidade técnica abaixo do esperado. Apesar disso, o Real Brasília jogou melhor e conseguiu impor o ritmo de jogo da equipe. Logo nos primeiros minutos de jogo, as Raposas precisaram segurar a pressão das Leoas do Planalto, que com 11 minutos, já tinham exigido da goleira Thais duas boas defesas. 

O grande lance da partida veio aos 24, quando Sassá roubou a bola na entrada da área, acertou o canto direito do gol e abriu o placar. O Cruzeiro, que já tinha dificuldade em encaixar a estratégia, sentiu a vantagem adversária e não conseguiu reagir ao longo da partida. 

Com o resultado, o Real Brasília se manteve na briga pela classificação da segunda fase do Brasileiro Feminino. 

Cresspom 1 x 3 São Paulo 

O Tricolor paulista bateu o Cresspom por 3 a 1, no domingão (05), no Estádio Abadião.

Com um primeiro tempo agitado e as duas equipes dando espaços de criação, o jogo foi de grandes oportunidades para os dois lados. Quem aproveitou melhor o momento foi o São Paulo, que aos sete minutos marcou o primeiro gol. Giovana, de cabeça, abriu o placar após receber o cruzamento de Maressa. 

O Cresspom até tentou responder no contra-ataque, mas sem sucesso. Já o São Paulo, em uma tarde inspirada, não esperou muito para ampliar o placar. Aos 13, Rafa Travalão fez o dela e deixou claro porque é a vice-artilheira do torneio. 

Aos 25 minutos, Quezia defendeu um lance cara a cara com Cacau, sozinha na área. 

O Cresspom, determinado a reverter o placar, colocou mais intensidade nos minutos finais, e com 38 no cronômetro, Keké aproveitou o gol vazio e descontou pro time visitante. 

Na segunda etapa, o Cresspom manteve o ritmo e volume de jogo, forçando o São Paulo a adotar uma postura defensiva. Aos 20 minutos, boa chance de empate com Dani Batista, que foi parada pela goleira Michelle. 

Apesar do esforço das Tigresas do Cerrado, foi o São Paulo quem conseguiu marcar o quarto gol da partida, e terceiro do Tricolor. Ana Clara marcou o seu primeiro gol no profissional depois de receber em profundidade, dominar no peito e mandar para o fundo das redes. 

Com o resultado, o São Paulo se consolidou no quarto lugar da tabela do Brasileiro Feminino, com 23 pontos. Já o Cresspom, ocupa a 14ª posição e está na zona de rebaixamento. 

Atlético-MG 2 x 0 Red Bull Bragantino

Fechando a rodada, o Galo recebeu o Bragantino no estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima, nesta segunda-feira (06), onde fez a festa e garantiu mais três pontos após vencer por 2 a 0. 

O  jogo marcou a reedição da final do Brasileiro A2,  que consagrou as Bragantinas campeãs da edição de 2021 e garantiu o acesso das duas equipes à elite do futebol feminino. Dessa vez, o cenário era outro: enquanto o Galo tenta a zona de classificação, o Bragantino é o lanterna da temporada. 

Apesar das condições contrárias na tabela, foi o time paulista quem começou pressionando, marcando alto e claro, tendo as melhores chances de gol. Mas aos 26 minutos, a maré virou e Soraya, na entrada da grande área, chutou e abriu o marcador, sem dar chances de defesa para Karol.

No segundo tempo, com a firmeza de um touro, o Massa bruta persistiu e tentou igualar o placar. Mas as Vingadoras, aproveitando os espaços, ampliaram o placar logo aos nove minutos com Nath, que encobriu a goleira e cravou o segundo gol (com categoria) do time mineiro. 

Dez minutos depois, o Red Bull Bragantino teve a chance de diminuir o placar, mas Lay acertou o travessão.

Aos 25, outra chance desperdiçada. Dessa vez, Jaiane, pelo lado mineiro, recebeu de Aninha, limpou e também mandou a bola no travessão.

Com o resultado, o Atlético assumiu a nona posição, com 16 pontos. Já o Red Bull, vai ficando sem esperanças e, mais uma vez, dorme na lanterna do Brasileiro Feminino.

Janayna Moradillo
Diretamente da Bahêa, filha de Iemanjá e jornalista esportiva em ascensão. Faço do futebol meu carnaval em tempo integral. Leonina, simpatizante das câmeras, curto um pagodinho e samba de roda. Estou sempre praticando e falando de esportes. Ou trabalhando, mas não necessariamente com esportes. Ah, eu simplesmente não tenho ideia de como relaxar!