Lucy Bronze conquista título inédito de melhor jogadora do mundo; confira também as vencedoras das outras categorias

Por Vitória Soares

Na tarde desta quinta-feira (17), a FIFA realizou a premiação do The Best 2020, na Suiça. A cerimônia foi feita sem a presença de público e de forma virtual, por conta da pandemia do coronavírus. O prêmio de melhor jogadora do mundo ficou com a inglesa Lucy Bronze. Ela disputava com a dinamarquesa Pernille Harder, atacante do Chelsea, e com a francesa Wendie Renard, zagueira do Lyon.  

A lateral direita, que atualmente defende a camisa do Manchester City, já havia ficado entre as três melhores do mundo no ano passado. Na última temporada ela atuava pelo Lyon, onde conquistou o sétimo título da Liga dos Campeões Feminina do time francês. Com esse prêmio, a estrela da seleção inglesa se torna a primeira lateral, entre homens e mulheres, a vencer a categoria de melhor do ano.  

A holandesa Sarina Wiegman que no ano que vem comandará a Inglaterra, conquistou a categoria de melhor técnica de time feminino. E a francesa Sarah Bouhaddi, que atua no Lyon, venceu como a melhor goleira da temporada.  

A holandesa Sarina Wiegman, vencedora do prêmio de melhor técnica do mundo. Foto: Fifa

 

A francesa Sarah Bouhaddi, eleita melhor goleira do ano

Também foi divulgada e premiada a seleção da temporada feminina, as onze escolhidas foram: Christiane Endler, Lucy Bronze, Wendie Renard, Millie Bright, Delphine Cascarino, Barbara Bonansea, Veronica Boquete, Megan RapinoePernille Harder, Vivianne Miedema, Tobin Heath 

As onze jogadoras eleitas para a seleção feminina do ano. Foto: Fifa

A última brasileira a ganhar a premiação de melhor jogadora do mundo foi Marta, em 2018. Na ocasião, ela conquistou o sexto troféu da carreira, se tornando uma das maiores vencedoras entre homens e mulheres.  

Vitória Soares
Paulista em terras paraibanas, jornalista em formação e apaixonada por esportes desde pequena. Tinha o sonho de ser nadadora profissional, mas como não deu certo, encontrei no jornalismo uma chance de continuar a viver o esporte de perto. Seja no trabalho, na faculdade, em casa, com amigos, estou sempre falando, assistindo ou pensando sobre futebol, e também um pouquinho sobre F1. Além disso, gosto muito de sair para comer ou beber, ir ao cinema. E também de ficar em casa, assistindo a alguma série, lendo ou só curtindo minhas playlists favoritas.