Seleção Brasileira Feminina perde para a Dinamarca no primeiro amistoso preparatório para a Copa América

Lucas Figueiredo/CBF

Abrindo a preparação para a Copa América, a Seleção Brasileira Feminina disputou o primeiro dos dois amistosos marcados para a Data Fifa de junho. O Brasil enfrentou a Dinamarca na tarde desta sexta-feira (24), no estádio Estádio Parken, em Kopenhagen, na capital dinamarquesa. Em um jogo um pouco abaixo, o time comandado pela técnica Pia Sundhage acabou sendo derrotado por 2 a 1. Thomsen e Gejl marcaram os gols da vitória do time dinamarquês, enquanto Debinha fez o da equipe brasileira.

Primeiro tempo 

O jogo começou com as duas equipes se estudando, mas não demorou muito para a Dinamarca chegar com perigo ao ataque. Isso porque o Brasil não conseguiu acertar bem a marcação nas laterais, facilitando as jogadas ofensivas do time dinamarquês. 

Aos 16 minutos, em boa jogada da Harder, Thomsen recebeu, arriscou de longe e acertou um belo chute no ângulo para abrir o placar para as dinamarquesas. Dois minutos depois, a Dinamarca voltou ao campo de ataque e obrigou a goleira Lorena a fazer uma bela defesa do chute. 

Após o gol dinamarquês, a Seleção começou a pressionar em busca do empate. Mesmo com o meio-campo não estando em um dia muito criativo, o time brasileiro teve boas chances com as jogadas em velocidade. Aos 26 minutos, Debinha saiu rápido, conseguiu se livrar da marcação de duas jogadoras dinamarquesas, mas na hora de finalizar mandou a bola para fora. 

Lucas Figueiredo/CBF

Pouco tempo depois, mais uma oportunidade da camisa nove brasileira. Debinha recebeu um bom passe de Kerolin, mas quando ela finalizou a defensora dinamarquesa bloqueou o chute. 

Já na reta final,  foi a vez de Kerolin tentar pela direita. A atacante limpou a marcação e arriscou um chute cruzado que passou bem perto do gol adversário.

Segundo tempo 

A etapa final do jogo começou mais movimentada, com as duas equipes buscando seus campos de ataque. A Dinamarca chegando com perigo com a Harder, enquanto o Brasil tentava com Debinha, Kerolin e Bia Zaneratto. 

Aos três, Kerolin desperdiçou uma ótima chance. A atacante recebeu um cruzamento e na hora que chutou a bola subiu demais, passando por cima do gol. Pouco depois, Bia Zaneratto chutou e a goleira defendeu. Debinha acreditou no rebote e mandou para a pequena área, Zaneratto cabeceou, mas a zaga da Dinamarca afastou a bola.  

Aos 13 minutos, em cobrança de falta, Bia Zaneratto subiu bem e obrigou a goleira Christensen a fazer uma boa defesa. E a pressão brasileira continuou, agora com Fê Palermo. Na bola área, a lateral cabeceou, mas acabou mandando no travessão.

Lucas Figueiredo/CBF

O Brasil continuou melhor no jogo buscando o empate. Rafaelle lançou uma ótima bola para Ary Borges, que acabou chutando para fora. E depois de tanta insistência veio o gol brasileiro. Aos 41 minutos, em bela jogada de Debinha, a atacante roubou a bola, avançou até linha de fundo, chegou na grande área e finalizou para o fundo das redes.

Mas o empate não durou muito tempo. Já nos acréscimos, Nadia Nadim trabalhou pela direita e cruzou para Gejl, que livre de marcação, colocou a Dinamarca a frente do placar mais uma vez.

Próximo desafio

Na terça-feira (28), a Seleção Brasileira vai reencontrar a Suécia, seis anos depois das Olimpíadas do Rio, em 2016. O jogo será às 13h30 (horário de Brasília), na Friends Arena, em Estocolmo. A partida terá transmissão da Globo e do SporTV.

Vitória Soares
Paulista em terras paraibanas, jornalista em formação e apaixonada por esportes desde pequena. Tinha o sonho de ser nadadora profissional, mas como não deu certo, encontrei no jornalismo uma chance de continuar a viver o esporte de perto. Seja no trabalho, na faculdade, em casa, com amigos, estou sempre falando, assistindo ou pensando sobre futebol, e também um pouquinho sobre F1. Além disso, gosto muito de sair para comer ou beber, ir ao cinema. E também de ficar em casa, assistindo a alguma série, lendo ou só curtindo minhas playlists favoritas.