Seleção Brasileira se inspira em trajetória campeã para a Copa América Feminina

Maior campeã do torneio, a Seleção feminina vai em busca do oitavo título; competição continental começa no dia 8 de julho.

A Copa América Feminina foi disputada pela primeira vez em 1991. Ali, a Seleção Brasileira já mostrava que seria favorita em todas as edições. Daquele ano, até o último campeonato, em 2018, foram oito títulos disputados e sete taças conquistadas. 

A Seleção perdeu apenas a edição de 2006, quando foi derrotada pela Argentina por 2 a 0 na rodada final e viu a rival levantar a taça pela primeira e única vez na história. 

Histórico avassalador 

O Brasil disputou ao todo 44 partidas pela Copa América, ganhou 41 vezes, empatou uma e perdeu apenas dois jogos em toda a história da competição. Em todas as edições, a seleção marcou 248 gols no total. 

A primeira edição, em 1991, foi disputada em Maringá, no Paraná, e tinha um formato muito diferente. A competição teve apenas Brasil, Chile e Venezuela que jogaram contra si. O Brasil foi o campeão, com apenas um gol sofrido e nenhuma derrota. 

Em seguida, em 1995, o Brasil construiu placares elásticos, como o de 13 a 0 contra o Equador, no primeiro jogo. Com 44 gols marcados, apenas o Chile conseguiu vazar a defesa brasileira. Nesta edição, cinco seleções disputaram o título e a vaga na Copa do Mundo Feminina no ano seguinte. Brasil e Argentina se enfrentaram na final e as brasileiras ganharam por 2 a 0. Sissi foi a artilheira da competição, marcando 12 vezes. 

Ataque soberano

O ataque continuou sendo destaque no Brasil na história do torneio. Com 66 gols marcados em apenas seis jogos na Copa América de 1998, a Seleção Brasileira levantou mais uma taça em mais uma final contra a Seleção Argentina. Esta foi a primeira edição em que todas as 10 equipes registradas na Conmebol jogaram o torneio.

Seleção Feminina campeã da Copa América 2003

Em 2003, o Brasil já entrou no quadrangular final por ter sido a campeã na edição anterior. Mesmo chegando mais tarde, a seleção marcou 18 vezes, sofreu apenas dois gols e ganhou as três partidas disputadas, se consagrando tetracampeã. 

Após perder o título em 2006 para a Argentina, o Brasil retomou os rumos dos títulos da Copa América em 2010, quando foi campeã invicta, marcando 25 vezes em sete jogos. Marta já se firmava como grande destaque do Brasil, sendo a artilheira da competição, com 10 gols. 

Logo depois, em 2014, mais uma grande brasileira se tornou artilheira do campeonato. A atacante Cristiane marcou seis vezes e garantiu que o Brasil conquistasse a sexta taça.

Reprodução/CBF

O técnico Vadão é o maior vencedor da Copa América com dois títulos, além de 2014, o comandante levou a equipe a mais um título em 2018.

Na última edição da Copa América, mais uma campanha histórica. O Brasil venceu todos os jogos que disputou, marcou 31 gols e sofreu apenas dois durante todo o torneio. Com a presença de jogadoras que fariam parte da nova geração da Seleção Brasileira, a artilheira da seleção na competição foi Bia Zaneratto, com seis gols, que também está na lista das convocadas por Pia Sundhage para a edição de 2022. 

AFP Photo/Claudio Reyes

Ausências na lista 

Com a renovação proposta pela técnica Pia Sundhage, a maior artilheira do Brasil na competição não estará em campo. A atacante Cristiane tem 31 gols em 29 partidas disputadas. Ela não é convocada há mais de um ano. 

Formiga, que se aposentou em novembro do ano passado da Seleção Brasileira, também tem marcas importantes. É a segunda jogadora que mais atuou pela seleção na Copa América, com 28 jogos. 

Outra jogadora importante na trajetória brasileira na Copa América e que também estará fora é Marta, que se recupera de uma lesão no ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho esquerdo. Sem poder contar com a camisa 10, a técnica Pia Sundhage convocou 23 jogadoras para a disputa do torneio continental. 

Em busca do oitavo título 

Pia terá seu primeiro grande desafio após a eliminação nas Olimpíadas do ano passado. Esse é o primeiro passo para entender se a renovação que a técnica está propondo está no caminho certo, mirando a Copa do Mundo. 

A competição continental garante vaga para o Mundial, que será disputado em 2023, na Nova Zelândia e Austrália, e para as Olimpíadas de Paris, em 2024.

A 9ª edição da Copa América começa no dia 08 de julho, com sede na Colômbia, e terá dez seleções divididas em dois grupos de cinco. Na primeira fase, as equipes se enfrentam dentro do próprio grupo e as duas primeiras seleções de cada chave garantem vaga nas semifinais. Depois, confrontos únicos para definir os finalistas. 

Lucas Figueiredo/CBF

Onde assistir? 

A Copa América Feminina 2022 terá transmissão na TV aberta pelo SBT e na TV fechada pelo SporTV. Toda a cobertura da competição você acompanha no site e nas redes sociais do Fut das Minas. 

Mariana Santos
Jornalista. Do campo, quadra e areia, encontrei no jornalismo a junção de duas paixões, o esporte e a comunicação. No Fut das Minas, a missão mais importante: escrever sobre o protagonismo das mulheres no futebol e no mundo. Comentarista às vezes. Palpiteira sempre.