//Promessas: Evellyn Thaila

Promessas: Evellyn Thaila

Hoje a série Promessas sobe um pouquinho o mapa para desembarcar em Pernambuco, especificamente no município de Cabo de Santo Agostinho, localizado no litoral sul da região metropolitana de Recife. É lá que a Evelly Thalia chama a atenção com seus nove anos de idade e muito talento com a bola nos pés.

Não muito diferente das histórias que contamos por aqui, Evelly é pioneira na escolinha em que joga, a Alex Gaibu, que leva o mesmo nome do ex jogador profissional, que hoje se dedica à formação de novos atletas e atua também como olheiro do Ceará. Mas a história de Evelly contou primeiro com o olhar sensível da sua mãe, Patrícia Henrique, que percebeu desde o início a paixão da filha. “Ela sempre gostou muito de jogar bola. Então desde o início a gente apoia e estimula bastante para que ela faça o que se sente bem. Isso é o mais importante”, conta.

Com apenas cinco anos de idade, Evelly já estava fascinada pela bola e dando seus primeiros dribles. Ela conta que as amiguinhas a questionam até hoje. “Elas ficam falando para eu brincar de boneca, mas eu não quero. Eu gosto mesmo é de jogar bola”, ressalta. E o futebol não ficou só na brincadeira, com o tempo o hábito de jogar no campinho de barro perto de casa já não era mais suficiente para ela, que queria iniciar em um espaço mais competitivo, onde pudesse disputar campeonatos.

Mas achar um lugar para que a Evelly pudesse jogar não foi uma tarefa fácil, e precisou contar com a insistência da mãe para dar certo. “Eu bati em várias escolinhas por aqui e nenhuma aceitava meninas. Até que eu encontrei o Anderson, atual técnico dela, e ele disse que também não tinham meninas na Alex Gaibu. Mas eu insisti e ele convidou ela para um teste. Depois, vendo a atuação dela, eles aceitaram. Ela é a primeira menina a entrar lá”, explica.

Na Alex Gaibu Evelly começou a desenvolver suas habilidades e impressionar quem a vê jogando como ponta esquerda, driblando e se destacando entre os meninos. Entre tantas competições, a que mais marcou até agora ocorreu no Pina, bairro do Recife. “Foi lá onde marquei meu primeiro gol. Isso me deixou muito feliz!”, conta empolgada. Na rotina, Evelly tem a escola pela manhã e os treinos ao menos duas vezes na semana, à noite. Esforçada e focada dentro do campo, ela tem sonhos grandes. “Meu sonho é um dia poder jogar em um clube como o Corinthians, ao lado da Tamires, que eu admiro muito, e também chegar na seleção brasileira”, complementa.

Talento e dedicação não faltam para atingir esses objetivos. Evelly já participou de uma série de competições, algumas delas na Arena Pernambuco, cenário da copa do mundo de 2014, e possível sede da Copa do Mundo Feminina de 2023. Falando em Copa do Mundo, ela participou recentemente da Copa Mundial de Fut7, sediada na Arena. Sua equipe da escolinha chegou a ser campeã na categoria sub-11. Além disso, a garota também foi homenageada na Copa Mata Norte, em Nazaré da Mata, por ser a única mulher da competição, entre 200 atletas. Para Patrícia, é sempre um motivo de orgulho. “As pessoas olham para ela no campo e falam: ela é muito guerreira. E eu sei disso, eu vejo o quanto ela se esforça”, disserta.

Apesar de Pernambuco ser um cenário forte de Futebol Masculino, e já ter sido de Futebol Feminino, com o Vitória de Santo Antão revelando várias atletas para a seleção, como a goleira da seleção, Bárbara, hoje a história é diferente. “É muito difícil para as jogarem profissionalmente aqui. Nós olhamos para os grandes clubes que temos, Náutico, Sport, Santa Cruz, e não conseguimos enxergar essa oportunidade entende? É preciso ir pra outro lugar”, explica Patrícia que chega a investir em média 200 reais para a filha participar de competições. “Eu e o pai dela fazemos isso porque é importante. O sonho dela é o nosso e vamos apoiar sempre”.

Um pouco tímida mas certa do amor que tem pelo futebol, Evelly explica o que sente quando está em campo. “Eu me sinto livre. É onde eu posso fazer o que eu gosto e isso me faz muito bem”, afirma. Ao ser questionada sobre qual recado daria para uma menina que quer jogar futebol mas ainda tem receio de preconceito ou algo do tipo, diz: “Que ela siga em frente, faça o que gosta e vá atrás dos sonhos. Ela vai conseguir!” decreta.

Instagram da Evelly: evelly_thaila

Maiores inspirações no futebol: Juju Gol, Juju Correia, Marta, Cristiane, Debinha e Formiga