Seleção Brasileira Feminina perde para a Suéca no último amistoso antes da Copa América

seleção feminina fut das minas
Lucas Figueiredo/CBF

Encerrando a preparação para a Copa América, a Seleção Feminina disputou o segundo e último amistoso da Data FIFA de junho. O duelo contra a Suécia nesta terça-feira (28) marcou o reencontro da técnica Pia Sundhage com a seleção de seu país, onde foi jogadora e técnica, na Friends Arena, em Estocolmo. 


Em um jogo intenso para os dois lados, o Brasil perdeu de 3 a 1 para a Suécia. O tento marcado pela Seleção Brasileira foi de Debinha, enquanto Rytting Kaneridy, Hurtig e Blackstenius marcaram pela seleção sueca.

Primeiro tempo

O jogo começou intenso para os dois lados, com a marcação alta, a Suécia tentou anular a criação do Brasil. Nos primeiros minutos de jogo, as suécas se apropriaram do campo de defesa das brasileiras dando a alternativa somente para o contra-ataque das Guerreiras do Brasil. E foi assim que Kerolin teve a primeira oportunidade da partida de chegar ao gol adversário, depois de receber um belo passe de Tamires pela esquerda, a camisa 21 chutou fraco encaixando a bola nas mãos da goleira Lindahl. 

Passados os primeiros 15 minutos de jogo, o Brasil conseguiu ocupar mais o campo de ataque oferecendo perigo às donas da casa, mas sem grandes chances claras de gol. Aos 19 minutos, foi a vez de Angeldahl aproveitar a sobra na área brasileira, mas a bola passou por cima da meta de Lorena. 

Durante o restante do primeiro tempo, o Brasil continuou pressionando cometendo alguns erros no meio campo que resultaram principalmente na perda de posse de bola. 

Aos 38 minutos foi a vez de Kerolin se destacar em mais uma bela jogada individual. A camisa 21 saiu no contra-ataque acompanhada por Debinha, chegando na frentre da grande área arrancou um escanteio cobrado por Tamires que não ofereceu perigo à defesa suéca. 

Nos últimos minutos da primeira etapa, foi a vez das suecas imporem novamente o jogo e dominarem o setor defensivo do Brasil, que seguiu mantendo a confiança no contra-ataque. Nos acréscimos, Adriana atravessou o campo pela direita e arriscou chutar de fora da área, a goleira Lindahl espalmou para frente e quase Kerolin aproveitou o rebote.

seleção feminina fut das minas
Lucas Figueiredo/CBF

Segundo tempo

Para o segundo tempo, a técnica Pia Sundhage optou pela saída de Ary Borges e Luana para as entradas de Bia Zaneratto e Duda Santos, respectivamente. 

Aos 4 minutos foi a primeira chegada do Brasil, quando Bia Zaneratto deu o passe para Debinha que cruzou para Kerolin, mas a camisa 21 estava impedida. Mas, logo no minuto seguinte, o resultado das tentativas deu certo e Debinha abriu o placar. O gol brasileiro saiu depois de uma bela jogada com o desarme de Rafaelle, o passe para Angelina que encontrou Fê Palermo pela esquerda e cruzou para a camisa 9 livre para balançar as redes.

Lucas Figueiredo/CBF

Depois do gol, a Seleção Brasileira continuou pressionando a defesa suéca se mantendo presente no setor defensivo adversário. Aos 20 minutos de jogo, foi a vez do técnico Peter Gerhardsson realizar substituições pontuais na equipe e dar um novo gás na parte física.

Dessa forma, Rytting Kaneridy se aproveitou de uma falha da defesa brasileira e deixou tudo igual no placar novamente. Mas, antes mesmo da Seleção Brasileira reagir ao tento marcado pelas suecas, dois minutos depois, foi a vez de Hurtig se aproveitar de uma desatenção das defensoras brasileiras e ampliar para as donas da casa.

Depois de levar a virada por 2 a 1, a técnica Pia Sundhage substituiu Adriana por Geyse e Rafaelle por Kethellen. Apesar de injetar mais energia na equipe brasileira, a Suécia continuou se impondo no setor defensivo brasileiro e pressionando em busca de ampliar mais uma vez o placar.

Pia Sundhage mexeu mais uma vez tirando Fê Palermo e colocando Letícia Santos na lateral. Mas, ainda assim, não foi o suficiente para o Brasil intensificar o ataque, principalmente por demonstrarem baixa na condição física.

Finalizando o placar por 3 a 1, aos 43 minutos, a camisa 11 Blackstenius investiu na velocidade do meio-campo e de cavadinha chutou por cima de Lorena marcando o terceiro gol das donas de casa.

Próximo desafio 

O próximo compromisso do Brasil é a estreia na Copa América Feminina, no próximo dia 9 de julho, contra a Argentina. 

Emilia Sosa
Jornalista, gaúcha que tem uma relação de amor e ódio com o país RS. Gosta de futebol desde sempre e usa seu espacinho no mundo para defender que mulheres joguem, falem e façam o que quiserem dentro da modalidade. Assiste futebol, fala de futebol, escreve sobre futebol e não sabe nem chutar uma bola. Fala igual uma matraca longe de uma câmera, adora conversar e contar histórias.